O que é educação corporativa? Guia Completo da Educação Corporativa

Descubra nesse artigo o que é educação corporativa e as vantagens para as empresas em um verdadeiro Guia com tudo o que você precisa para criar suas ações em treinamento e desenvolvimento.

O que é a educação corporativa?

A educação corporativa é um conjunto de estratégias, práticas e iniciativas de aprendizagem que são desenvolvidas e implementadas por empresas do mundo todo com o objetivo de capacitar seus colaboradores e melhorar o desempenho do negócio.

Segundo o estudo Workplace Learning do Linkedin, a educação corporativa é prioridade para as organizações. Desenvolvedores de talentos, executivos e gerentes de pessoas concordam que fornecer recursos para permitir o desenvolvimento do talento é crucial para o negócio.

Há até um consenso de que os programas de aprendizagem e desenvolvimento são um novo benefício, assim como plano de saúde, seguro de vida, bem estar, entre outros, cada vez mais necessário para os colaboradores.

Uma das principais vantagens da educação corporativa para uma organização é desenvolver as habilidades e competências dos colaboradores para que possam atuar de forma mais eficiente e produtiva dentro da própria organização. Mas vai além: cada vez mais cresce o desenvolvimento das habilidades que possam contribuir não só com a vida profissional, mas também com a vida pessoal, entre elas, saúde mental, bem estar, entre outras.

A educação corporativa pode ganhar forma através de:

  • Treinamentos online ou presenciais

  • Workshops

  • Palestras

  • Mentorias

  • e outras atividades que visam aprimorar o conhecimento e as habilidades dos colaboradores.

Além disso, a educação corporativa também pode ajudar a promover a cultura organizacional, estimulando a colaboração, a inovação, a criatividade e a liderança. Ela pode ser vista como um investimento estratégico por parte das empresas, pois ao capacitar seus funcionários, elas podem obter vantagem competitiva, melhorar o desempenho e aumentar a satisfação dos clientes.

 

10 principais conceitos da educação corporativa que você precisa saber

Antes de entendermos como aplicar a educação corporativa na prática, estratégias, ferramentas e mais, vamos entender alguns conceitos da educação corporativa que você não pode deixar de saber.

1.Treinamento

É um processo de aprendizagem específico e orientado para o desenvolvimento de habilidades técnicas ou comportamentais, geralmente de curta duração e com foco em resultados imediatos.

2.Desenvolvimento

É um processo mais amplo e abrangente de aprendizagem, voltado para o desenvolvimento de habilidades, competências e valores que contribuem para o crescimento profissional e pessoal do colaborador.

3.Educação Continuada

Refere-se a programas e atividades que visam a atualização e aprofundamento do conhecimento dos colaboradores, mantendo-os atualizados e aptos a lidar com as mudanças no mercado e na organização.

4.E-learning

É a aprendizagem baseada em tecnologias digitais, como plataformas de ensino à distância, webinars, podcasts, jogos educativos, entre outros.

5.Lifelong learning

Em português "aprendizagem ao longo da vida", é um conceito que se refere ao processo de aprendizagem contínuo que ocorre ao longo de toda a vida de uma pessoa, independentemente da idade ou fase de carreira em que se encontra.

6. Upskilling 

Desenvolvimento e aprimoramento de habilidades em uma área ou setor no qual uma pessoa atua, com o propósito de melhorar seu desempenho.

7. Reskilling

Refere-se a oferecer treinamentos e cursos de capacitação, visando recolocar alguém em um cargo diferente do que ele já trabalha.

8.Competências

São habilidades, conhecimentos e atitudes que contribuem para a performance e o sucesso profissional do colaborador, como a comunicação, trabalho em equipe, liderança, negociação, entre outras.

9.Gestão do Conhecimento

Refere-se à gestão dos recursos e processos de aprendizagem na empresa, com o objetivo de promover a disseminação e aplicação do conhecimento em todos os níveis da organização.

10.ROI (Return on Investment)

É uma métrica utilizada para avaliar o retorno financeiro e social dos investimentos em educação corporativa, com base na análise do impacto dos programas de treinamento e desenvolvimento nos resultados da empresa.

Qual é a diferença entre treinamento e educação corporativa?

 

Nos últimos anos, o aumento do investimento em T&D (Treinamento e Desenvolvimento) foi notável. Para se ter uma ideia, as grandes e pequenas empresas investiram, juntas, mais de 2 milhões e 240 mil reais na área. 

Boa parte disse aconteceu porque os gestores passaram a entender que as peças-chave do desenvolvimento saudável de seus negócios são os colaboradores. E para gerarem bons resultados, eles precisam ser bem treinados. É aí que entra a educação corporativa!

Apesar de serem conceitos parecidos, educação e treinamento são coisas diferentes, especialmente no universo corporativo. 

Mas entender a diferença é simples: enquanto o primeiro é o termo geral, que engloba diferentes áreas e conhecimentos que precisam ser transmitidos periodicamente aos colaboradores, o segundo é a fração desse conhecimento.

Explicando melhor: é possível bater o martelo que sua equipe precisa ser educada corporativamente em relação a vendas digitais. Porém, não é fácil fazer isso de uma vez só, certo? Afinal, o tema é vasto e aborda diversos pontos. 

Principais vantagens e motivações da educação corporativa para as empresas


A educação corporativa é extremamente importante para os colaboradores, o negócio em si  e para a gestão de pessoas, uma vez que contribui para o desenvolvimento de habilidades e competências dos colaboradores, aumentando sua produtividade, satisfação e engajamento com a empresa.

Ao investir em educação corporativa, a empresa está investindo no seu capital humano, proporcionando oportunidades de aprendizagem e desenvolvimento de carreira para seus colaboradores. Isso pode gerar um impacto positivo na retenção de talentos, já que os colaboradores se sentem mais valorizados e motivados a permanecer na empresa.

Além disso, a educação corporativa pode contribuir para o desenvolvimento de lideranças, já que permite que os gestores adquiram novas habilidades e competências para gerenciar equipes e promover a melhoria contínua da performance da empresa.

Outra importância da educação corporativa para a gestão de pessoas é que ela pode contribuir para a promoção de uma cultura de aprendizagem na empresa, onde o conhecimento é valorizado e estimulado. Isso pode incentivar a colaboração, a criatividade e a inovação, fomentando um ambiente de trabalho mais dinâmico e produtivo.

Por fim, a educação corporativa pode contribuir para o alinhamento dos colaboradores com os valores e objetivos da empresa, promovendo a identificação e engajamento dos colaboradores com a cultura organizacional.

Entre as diversas vantagens para as estratégias da gestão de pessoas, podemos destacar:

Melhoria do clima organizacional: Quando a empresa investe em educação corporativa, mostra aos seus colaboradores que valoriza seu desenvolvimento pessoal e profissional. Isso gera uma percepção positiva da empresa por parte dos colaboradores, o que contribui para a melhoria do clima organizacional.

Redução do turnover: A educação corporativa pode contribuir para a retenção de talentos, pois proporciona aos colaboradores oportunidades de desenvolvimento de carreira, o que aumenta a motivação e o engajamento dos mesmos. Com isso, a empresa pode reduzir o índice de turnover.

Identificação de talentos internos: Ao oferecer programas de educação corporativa, a empresa pode identificar colaboradores com potencial para ocupar posições de liderança ou para desenvolver projetos estratégicos. Isso pode contribuir para a formação de sucessores e para a criação de uma cultura de meritocracia.

Atração de talentos: A oferta de programas de educação corporativa pode ser um fator de atração de talentos, pois demonstra que a empresa valoriza o desenvolvimento dos seus colaboradores e está comprometida com a formação de equipes de alta performance.

Desenvolvimento de líderes: A educação corporativa pode ser um importante instrumento para o desenvolvimento de lideranças. Através dela, os gestores podem adquirir conhecimentos e habilidades que lhes permitam gerenciar equipes de forma mais eficaz e promover a melhoria contínua da performance da empresa.

Maior produtividade: A educação corporativa pode contribuir para o aumento da produtividade, já que os colaboradores que participam de programas de treinamento e desenvolvimento tendem a ser mais motivados, engajados e preparados para lidar com os desafios do seu trabalho.

Melhoria da imagem da empresa: A oferta de programas de educação corporativa pode contribuir para a melhoria da imagem da empresa junto ao mercado e à sociedade, demonstrando seu comprometimento com a formação de profissionais qualificados e a valorização do capital humano.

Ainda segundo Roberto Madruga, autor do livro Treinamento e Desenvolvimento com foco em educação corporativa, em uma pesquisa realizada pelo próprio autor com organizações que promovem o desenvolvimento de pessoas com métodos eficazes, há mais resultados além dos citados acima:

  • Mudança de hábitos e atitudes do colaborador

  • Melhora a autoestima

  • Reduz erros repetitivos

  • Conduz pessoas a novas descobertas

  • Desenvolve equipes autogerenciáveis

  • Reduz o absenteísmo

  • Aumenta a taxa de fidelização de clientes

  • Cria uma cultura de investimento em pessoas

  • Desperta a colaboração para redução de desperdícios

  • Eleva o padrão de qualidade de produtos e serviços

  • Promove a profissionalização da organização

Quais os tipos de treinamentos que existem na educação corporativa?

Existem diversos tipos de treinamentos na educação corporativa, cada um com suas particularidades e objetivos. Alguns dos principais tipos são:

Treinamento técnico: é voltado para o desenvolvimento de habilidades técnicas e específicas relacionadas à execução de determinadas tarefas ou atividades, como operação de máquinas, sistemas ou softwares, por exemplo.

Treinamento comportamental: também conhecido como soft skills, tem como foco o desenvolvimento de habilidades interpessoais e de comportamentos relacionados à comunicação, liderança, trabalho em equipe, negociação, entre outros.

Treinamento de integração: é destinado a colaboradores recém-contratados ou transferidos para outra área da empresa, com o objetivo de integrá-los à cultura e aos processos da organização.

Treinamento de vendas: tem como objetivo aprimorar as habilidades de vendas dos colaboradores, como técnicas de negociação, abordagem de clientes, relacionamento e fidelização.

Treinamento de segurança do trabalho: tem como objetivo conscientizar os colaboradores sobre as normas e procedimentos de segurança na empresa, prevenção de acidentes e doenças ocupacionais.

Treinamento de liderança: é destinado aos colaboradores que ocupam cargos de liderança na empresa, com o objetivo de desenvolver habilidades de gestão de equipes, liderança estratégica, comunicação e tomada de decisão.

Treinamento de compliance: tem como objetivo conscientizar os colaboradores sobre as normas e políticas internas da empresa, bem como as leis e regulamentações externas aplicáveis, visando garantir a conformidade com as normas e prevenção de fraudes.

É importante destacar que os tipos de treinamentos podem variar de acordo com as necessidades e objetivos de cada empresa e setor de atuação.

 

Você sabe o que são as principais teorias da aprendizagem e como aplica-las em T&D?

Existem várias teorias da aprendizagem que podem ser aplicadas na educação corporativa. Algumas das principais são:

Behaviorismo: essa teoria se concentra no estudo do comportamento humano observável e mensurável, e defende que o aprendizado ocorre através da associação de estímulos e respostas. Na educação corporativa, essa teoria pode ser aplicada através de técnicas de treinamento baseadas em reforço e punição, como o condicionamento operante.

Cognitivismo: essa teoria se concentra no estudo dos processos mentais que estão por trás da aprendizagem, como a percepção, a memória e a resolução de problemas. Na educação corporativa, essa teoria pode ser aplicada através de técnicas de ensino que enfatizam a compreensão e a análise do conteúdo, como a resolução de problemas e o estudo de casos.

Construtivismo: essa teoria se concentra no papel ativo do aprendiz no processo de construção do conhecimento, defendendo que o aprendizado ocorre a partir da interação entre o indivíduo e o ambiente. Na educação corporativa, essa teoria pode ser aplicada através de técnicas de ensino que enfatizam a colaboração e a construção conjunta do conhecimento, como o aprendizado em equipe e a resolução colaborativa de problemas.

Humanismo: essa teoria se concentra no desenvolvimento da pessoa como um todo, enfatizando a importância do afeto, da autoestima e da realização pessoal na aprendizagem. Na educação corporativa, essa teoria pode ser aplicada através de técnicas de ensino que enfatizam a valorização do colaborador como ser humano, como o feedback positivo e o reconhecimento do desempenho.

Andragogia: essa teoria se concentra na aprendizagem do adulto, enfatizando a importância da experiência e da aplicabilidade prática do conhecimento. Na educação corporativa, essa teoria pode ser aplicada através de técnicas de ensino que enfatizam a aprendizagem baseada em problemas e a aplicação prática do conhecimento.

>> 💡Veja também mais teorias da aprendizagem:  

💡> Janelas de Johari: como usar a teoria para identificar oportunidades de melhor entrosamento entre grupos na educação corporativa

💡> Modelo 70-20-10: eficaz e pode supreender

         💡> Pirâmide da Aprendizagem: o que é mais eficaz na hora de aprender?

         💡> Diagrama de Kolb: o que é e como engajar mais com ele?

        💡> Método LNT: identificando as necessidades 

 

Métodos mais eficazes da educação corporativa

Existem diversos métodos de ensino que podem ser utilizados na educação corporativa, e a eficácia de cada um pode variar de acordo com os objetivos do treinamento, o perfil dos colaboradores e as necessidades da empresa. Alguns dos métodos mais eficazes e populares são:

Treinamento online: é realizado através de plataformas virtuais de ensino, com acesso remoto dos participantes. É indicado para treinamentos técnicos ou de atualização de conhecimentos, em que a interação entre os participantes não é essencial.

Treinamento vivencial: é realizado em ambientes que simulam situações reais de trabalho, como dinâmicas de grupo, jogos empresariais ou simulações de processos produtivos. É indicado para treinamentos comportamentais ou de liderança, que exigem habilidades práticas.

Mentoria: é um método que envolve o acompanhamento individualizado de um colaborador por um mentor, com o objetivo de desenvolver habilidades específicas ou orientar em questões de carreira. É indicado para colaboradores que precisam de um suporte mais personalizado para o desenvolvimento de suas habilidades.

Coaching: é um método que envolve o acompanhamento individualizado de um colaborador por um coach, com o objetivo de desenvolver habilidades comportamentais, tais como liderança, comunicação, trabalho em equipe, entre outras.

Blended learning: é uma combinação de métodos de ensino, que pode incluir aulas presenciais, online, vivenciais, entre outras. É indicado para treinamentos que exigem diferentes abordagens e metodologias de ensino.

Treinamento EAD na empresa é a melhor solução?

Quando falamos sobre treinamentos, não é incomum imaginarmos o modelo presencial. Contudo, o momento atual vivido não pode priorizar essa forma de treinar como a única possibilidade. Isso porque, somente em 2022, as vagas remotas cresceram 496%, o que indica que o remoto é um caminho sem volta.

Por isso, considerar fixar os treinamentos no modelo EAD e de e-learning podem fazer a diferença no alcance, na efetividade e, até mesmo, no engajamento dos colaboradores. Algumas vantagens dessa escolha incluem:

  • acesso de qualquer lugar e de diferentes dispositivos;

  • possibilidade de contar com palestrantes de qualquer lugar do Brasil e do mundo;

  • capacidade de trabalhar com trilhas de aprendizado com a empresa inteira, que são conhecimentos interligados e complementares, com resultados interdisciplinares;

  • alinhamento com ferramentas que tornem o processo mais fluido independentemente da localização do colaborador, como as plataformas para educação corporativa;

  • captação de dados que atuam na melhoria contínua dos treinamentos por meio das ferramentas e muito mais.

  •  

 

O papel do RH na educação corporativa

 

Para que todas as estratégias, benefícios e resultados sejam de fato concretizados, o "maestro" de toda a estratégia é a área de RH ou Gestão de Pessoas.

O papel do RH na educação corporativa é fundamental nessa jornada. Na equipe os profissionais de treinamento e desenvolvimento (que são nossos grandes parceiros e que tanto amamos  na evolluo e aprendeai.com), que desempenham um papel fundamental na educação corporativa, pois são eles os responsáveis por garantir que os colaboradores tenham as habilidades e competências necessárias para alcançar os objetivos da empresa.

Algumas das principais responsabilidades do profissional de RH na educação corporativa incluem:

1.Identificar o momento da empresa e as necessidades de treinamento

 

Criar uma universidade corporativa na empresa é uma decisão estratégica importante que deve ser tomada após uma avaliação cuidadosa das necessidades de desenvolvimento de competências e habilidades dos colaboradores e da cultura organizacional da empresa.

O profissional de RH deve identificar as necessidades de treinamento dos colaboradores, a fim de garantir que eles tenham as habilidades necessárias para desempenhar suas funções de forma eficaz. Isso envolve entender as lacunas de habilidades e competências dos colaboradores em relação às metas e objetivos da empresa.

Se a empresa precisa desenvolver habilidades técnicas ou comportamentais específicas em seus colaboradores, uma universidade corporativa pode ser uma maneira eficaz de fornecer treinamento e desenvolvimento personalizado.

Há ainda mais alguns fatores a considerar antes de iniciar uma universidade corporativa na empresa:

Dificuldade em encontrar treinamento externo adequado: se a empresa não consegue encontrar treinamento externo que atenda às suas necessidades específicas de treinamento, criar uma universidade corporativa pode ser uma opção viável para desenvolver habilidades e competências específicas.

Desejo de reforçar a cultura organizacional: se a empresa deseja reforçar sua cultura organizacional e garantir que os colaboradores estejam alinhados com os valores e objetivos da empresa, uma universidade corporativa pode ser uma forma eficaz de transmitir essas mensagens e desenvolver competências alinhadas com a cultura organizacional.

Desejo de reter talentos: se a empresa deseja atrair e reter talentos, oferecer programas de desenvolvimento de carreira por meio de uma universidade corporativa pode ser uma forma eficaz de demonstrar o compromisso da empresa com o desenvolvimento de seus colaboradores e, consequentemente, aumentar a retenção de talentos.

Desejo de aumentar a eficiência: se a empresa deseja aumentar a eficiência e a produtividade de seus colaboradores, oferecer treinamento personalizado e alinhado com as necessidades da empresa pode ser uma forma eficaz de aumentar a eficiência e a produtividade.

Criar uma universidade corporativa pode ser uma opção atraente para empresas que desejam desenvolver habilidades específicas em seus colaboradores, reforçar a cultura organizacional, reter talentos e aumentar a eficiência e a produtividade.

No entanto, é importante realizar uma análise cuidadosa das necessidades da empresa antes de tomar a decisão de criar uma universidade corporativa.


 

2.Avaliar o panorama da educação corporativa na empresa

 

Outra melhor forma de iniciar um projeto de educação corporativa estruturado e eficiente ou mesmo reestruturar um atual não é “colocar a mão na massa” sem se preparar. O segredo é identificar gaps logo no início.

Dessa forma, realize avaliação a seguir e descubra em que estágio de maturidade de Educação Corporativa presencial ou a distância sua organização está.


 

3.Desenvolver planos de treinamento

Com base nas necessidades identificadas, o profissional de RH deve desenvolver planos de treinamento eficazes para ajudar os colaboradores a preencher as lacunas em suas habilidades e competências. Isso envolve escolher os conteúdos apropriados e as metodologias de ensino adequadas para atender às necessidades da empresa.

3.Selecionar e gerenciar fornecedores de treinamento

Quando a empresa não possui os recursos necessários para oferecer treinamentos internos, o profissional de RH deve selecionar e gerenciar fornecedores externos de treinamento. Isso envolve avaliar os fornecedores de treinamento em potencial e garantir que os treinamentos oferecidos atendam às necessidades da empresa.

4.Implementar e coordenar os treinamentos

O profissional de RH deve garantir que os treinamentos sejam implementados e coordenados de forma eficaz. Isso pode incluir o gerenciamento da logística do treinamento, o fornecimento de materiais de treinamento e a avaliação da eficácia do treinamento.

5.Avaliar o impacto do treinamento

Após a implementação do treinamento, o profissional de RH deve avaliar o impacto do treinamento na empresa. Isso envolve monitorar o desempenho dos colaboradores, avaliar a eficácia do treinamento e coletar feedback dos colaboradores.

6.Identificar oportunidades de desenvolvimento de carreira

O profissional de RH também pode identificar oportunidades de desenvolvimento de carreira para os colaboradores, a fim de promover a retenção de talentos e o desenvolvimento de líderes internos.

 

O que é e quando criar uma Universidade Corporativa?

A universidade corporativa é um projeto multidisciplinar que busca treinar e desenvolver todos os colaboradores de uma empresa. A ideia é educar de dentro para fora, garantindo que o desenvolvimento dos colaboradores impacte cada vez mais positivamente os resultados da empresa.

O conceito desse tipo de projeto surgiu nos anos 80 e, ainda assim, é um tema novo para as organizações. Contudo, já comprovou ser o caminho certo para os que desejam otimizar a conquista de resultados. Inclusive, 76,5% das empresas pretendem investir em educação corporativa nos próximos anos.

Para criar uma universidade corporativa que realmente gera resultados, é preciso entender o momento e se o ambiente de negócios e a cultura da empresa são favoráveis a iniciativa.

7 princípios para potencializar sua universidade corporativa na prática


Segundo Marisa Eboli em "Educação corporativa no Brasil: mitos e verdades", existem diversos princípios que norteiam a educação corporativa, mas os mais importantes são:

1.Diferencial competitivo

Na prática é assim:

  • O comprometimento e o envolvimento da alta cúpula da empresa é fundamental,

  • Alinhar as estratégias, diretrizes e práticas de Gestão de Pessoas às estratégias do negócio,

  • Implantar um modelo de Gestão de Pessoas por competências,

  • Conceber ações e programas educacionais alinhados às estratégias do negócio.

2.Perpetuidade

Na prática é assim:

  • A educação corporativa precisa ser veiculo de disseminação da cultura empresarial,

  • Líderes e gestores precisam colaborador com o processo de aprendizagem.

3.Criar conectividade

Na prática é assim:

  • Adotar e implementar a educação "inclusiva", contemplando o público interno e externo,

  • Implantar modelo de gestão do conhecimento que estimule o compartilhamento de conhecimentos organizacionais e a troca de
    experiências,

  • Integrar sistema de educação com o modelo de gestão do conhecimento,

  • Criar mecanismos de gestão que favoreçam a construção social do conhecimento.

4. Disponibilidade

Na prática é assim:

  • Implantar projetos virtuais de educação (aprendizagem mediada por tecnologia),

  • Utilizar de forma intensiva tecnologia aplicada à educação,

  • Implantar múltiplas formas e processos de aprendizagem que favoreçam a "aprendizagem a qualquer hora e em qualquer lugar".

5.Cidadania

Na prática é assim:

  • Obter sinergia entre programas educacionais e projetos sociais,

  • Comprometer-se com a cidadania empresarial, estimulando a formação de atores sociais dentro e fora da organização e a construção social do conhecimento organizacional.

6.Parceria

Na prática é assim:

  • Parcerias internas: responsabilizar lideres e gestores pelo processo de aprendizagem de suas equipes, estimulando a participação nos programas educacionais e criando um ambiente de trabalho propicio à aprendizagem,

  • Parcerias externas: estabelecer parcerias estratégicas com instituições de ensino superior.

7. Sustentabilidade

Na prática é assim:

  • Tornar-se um centro de agregação de resultados para o negócio,

  • Implantar sistema métrico para avaliar os resultados obtidos considerando-se os objetivos do negócio,

  • Criar mecanismos que favoreçam a sustentabilidade financeira do sistema.

As top habilidades que você deve considerar em sua estratégia de educação corporativa


O caminho para chegar ao topo da sua estratégia em educação corporativa é criar uma jornada de aprendizagem contemplando habilidades chave para o desenvolvimento de quaisquer colaboradores e que podem impactar rapidamente e positivamente o  dia a dia do negócio.

Habilidades comportamentais e emocionais estão entre as principais delas. Já saber analisar dados entra nessa lista como uma habilidade altamente exigida na atualidade que pode ser desenvolvida e aprimorada através da educação corporativa.

Algumas das principais soft skills que você deve considerar ao criar sua estratégia de treinamento e desenvolvimento na educação corporativa:

  • Comunicação

  • Trabalho em equipe

  • Liderança

  • Resolução de problemas

  • Adaptabilidade às mudanças

  • Lidar com o imprevisível

  • Empatia

  • Criatividade

  • Saber se autogerenciar

  • Produtividade

  • Analisar dados

  • Negociar

  • Resolver problemas

  • Inteligência emocional

  • Saber colaborar

Você conhece as Single Skills na educação corporativa?


Single skills, ou habilidades individuais, na educação corporativa referem-se às competências específicas necessárias para que os colaboradores possam realizar suas atividades de trabalho de forma eficaz.

Essas habilidades podem variar de acordo com o setor de atuação da empresa, mas geralmente incluem habilidades técnicas, como o uso de ferramentas e equipamentos, e habilidades comportamentais, como a capacidade de comunicação, liderança e resolução de problemas.

Na educação corporativa, as single skills são ensinadas por meio de programas de treinamento específicos, que visam desenvolver as competências necessárias para a realização de atividades específicas.

Esses programas podem incluir treinamento presencial, online ou em sala de aula, e são muitas vezes acompanhados por avaliações de desempenho para garantir que os colaboradores adquiriram as habilidades desejadas.

As single skills são uma parte importante da educação corporativa, pois permitem que os colaboradores realizem suas atividades de trabalho de forma mais eficiente e produtiva.

Além disso, o desenvolvimento dessas habilidades pode aumentar a motivação e a satisfação dos colaboradores, uma vez que eles se sentem mais capazes e confiantes em suas habilidades e competências.

 

Business Agility: como a agilidade pode potenciar seus resultados na educação corporativa?

Business agility, ou agilidade nos negócios, é a capacidade de uma empresa de se adaptar rapidamente às mudanças do mercado e do ambiente de negócios, mantendo a flexibilidade, a inovação e a capacidade de resposta aos desafios que surgem.

O conceito de business agility está relacionado com a aplicação dos princípios ágeis de gestão de projetos e desenvolvimento de software no contexto empresarial.

Esses princípios incluem a colaboração, a comunicação efetiva, a flexibilidade, a experimentação, a entrega contínua de valor e a adaptação rápida a mudanças.

Para alcançar a agilidade nos negócios, uma empresa deve ser capaz de:

Identificar oportunidades e riscos rapidamente: ao estar atenta às tendências do mercado e às mudanças no ambiente de negócios, a empresa pode identificar oportunidades e riscos rapidamente e agir de forma ágil para aproveitar as primeiras e mitigar os segundos.

Tomar decisões rapidamente: uma empresa ágil deve ser capaz de tomar decisões rapidamente, baseadas em informações confiáveis e relevantes, para aproveitar as oportunidades e enfrentar os desafios que surgem.

Inovar constantemente: a inovação é essencial para a agilidade nos negócios, pois permite que a empresa crie novos produtos, serviços e processos de forma contínua, mantendo-se competitiva e relevante no mercado.

Adaptar-se rapidamente a mudanças: a capacidade de se adaptar rapidamente a mudanças no ambiente de negócios é fundamental para a agilidade nos negócios. A empresa deve estar preparada para mudar seus processos, produtos e serviços de forma ágil, para se adaptar às mudanças no mercado.

Fomentar a colaboração e a comunicação: a colaboração e a comunicação efetiva entre as equipes são fundamentais para a agilidade nos negócios, permitindo que a empresa reaja rapidamente a mudanças e promova a inovação de forma contínua.

Ações em educação corporativa podem ajudar a empresa a adotar rapidamente os princípios da agilidade nos negócios para obter vantagem competitiva, aumentar a satisfação dos clientes e colaboradores, melhorar a eficiência e a efetividade de suas operações e, consequentemente, aumentar seus resultados financeiros.

 

Como incentivar a educação corporativa na empresa?


Boa parte das companhias da atualidade já conta com uma área de T&D dedicada aos colaboradores. Porém, mesmo as que não têm podem investir em educação corporativa como uma ferramenta para o sucesso geral do negócio.

Para isso, é preciso de comprometimento por parte das lideranças e do RH. Para dar início a isso, é possível seguir 3 passos:

  1. O primeiro é identificar a mapear os pontos que as equipes precisam desenvolver;

  2. Em segundo lugar, encontrar as melhores formas de passar esse conhecimento para eles;

  3. Por fim, coletar feedbacks e construir um processo replicável.

Ao seguir esses passos, será possível ofertar diferentes treinamentos para equipes distintas da empresa seguindo um modelo com sucesso comprovado. Consequentemente, a organização passará a fomentar a educação corporativa com agilidade e eficiência.

>> 💡Aproveite para ler: 8 passos para criar uma estratégia de educação corporativa na empresa

 

O que veio para ficar na educação corporativa?

A educação corporativa é uma área em constante evolução, e existem algumas tendências mundiais que estão influenciando a forma como as empresas abordam o treinamento e o desenvolvimento de seus funcionários. Elas continuarão norteando as ações de treinamento e desenvolvimento nos próximos anos.

1. Aprendizagem baseada em projetos

A aprendizagem baseada em projetos é uma tendência crescente na educação corporativa, onde os funcionários são convidados a trabalhar em equipe em projetos reais da empresa, ao invés de simplesmente ouvir palestras ou participar de aulas teóricas.

2. Aprendizagem baseada em gamificação

A gamificação tem se tornado cada vez mais popular na educação corporativa, pois ajuda a mantê-los engajados e motivados durante o processo de aprendizagem.

3. Aprendizagem baseada em tecnologia

A tecnologia está mudando a forma como as empresas abordam a educação corporativa, e as tendências incluem a utilização de aplicativos de aprendizagem móvel, plataformas de aprendizagem virtual e inteligência artificial para personalizar a aprendizagem para cada indivíduo.

4. Aprendizagem baseada em dados

As empresas estão começando a utilizar dados para melhorar a eficácia de seus programas de treinamento, ao avaliar o desempenho dos funcionários antes e depois de treinamentos específicos.

5. Aprendizagem baseada em habilidades

As empresas estão se concentrando em desenvolver habilidades práticas e transferíveis em seus funcionários, a fim de prepará-los para as exigências do mercado de trabalho em constante mudança.

8 principais tendências que irão ditar o ritmo da educação corporativa neste ano


Ao olharmos para os próximos meses, existem várias tendências que estão moldando o cenário global de treinamento e desenvolvimento. Aqui estão algumas tendências importantes apontadas no relatório mundial de tendências do elearning industry para organizações que buscam otimizar seus programas de treinamento e desenvolvimento nos próximos meses.

1. Adaptação ao trabalho remoto

A pandemia do COVID-19 acelerou a tendência de trabalho remoto e treinamento virtual, já que muitos funcionários foram forçados a trabalhar em casa e a participar de treinamentos online.

É provável que essa tendência continue nos próximos anos, pois as empresas reconhecem os benefícios do trabalho remoto e o potencial de economia de custos e aumento da produtividade.

Como resultado, as organizações precisarão investir em plataformas e ferramentas de treinamento virtual e desenvolver estratégias para fornecer conteúdo de treinamento on-line atraente e de alta qualidade.

2. Gamificação: sentimento e imersividade

O treinamento pode ser mais eficaz e envolvente quando é interativo e imersivo e quando incorpora elementos de gamificação e jogo. Nos próximos meses, as organizações precisarão usar conteúdo interativo e gamificação para tornar o treinamento mais envolvente e eficaz, usando técnicas como simulações, realidade virtual e jogos para oferecer experiências de aprendizado divertidas e imersivas.

A experiência de aprendizagem causa impacto nos usuários quando há uma associação de sentimento à jornada de aprendizagem. As emoções são o ingrediente que faz com que as novas noções permaneçam e sejam internalizadas com sucesso, mantendo as pessoas engajadas e altamente motivadas em suas tarefas. E é exatamente isso que as soluções de aprendizagem gamificadas fazem: manter a motivação alta e as pessoas felizes no trabalho.

3. Interatividade

Muitas empresas, principalmente nos EUA e União Europeia promoveram soluções 3D para aprendizagem que têm custos significativos. Este ano, esse tipo de aprendizado caro não está mais sob os holofotes.

As tendências apontam para uma formação sustentável e mais interativa, onde todos possam participar da adaptação do conteúdo enquanto desfrutam de uma simulação da realidade que prepara para desafios reais, em um espaço seguro e sem custos extras.

Não haverá necessidade de comprar equipamentos caros para treinamento; agora todos podem usar seu próprio dispositivo para treinar e aprimorar suas habilidades soft e hard.

4. Personalização e Individualização

Com a crescente disponibilidade de dados e tecnologia, está se tornando mais fácil adaptar os programas de treinamento às necessidades e preferências específicas de cada aluno. Programas de treinamento personalizados e individualizados podem ser mais eficazes, pois levam em consideração os estilos de aprendizagem, experiências e objetivos únicos de cada aluno.

As organizações precisarão adotar abordagens de treinamento mais personalizadas e individualizadas, usando dados e análises para entender as necessidades de seus funcionários e fornecer conteúdo de treinamento relevante e direcionado.

Sabendo que mais de 30% das habilidades exigidas há alguns anos logo se tornarão obsoletas (de acordo com um estudo do Gartner), a melhor opção nestes tempos de constante mudança é fornecer aos alunos as ferramentas certas para atualizar permanentemente seu treinamento, mantendo o que é relevante para suas habilidades e requisitos de trabalho por meio de alta personalização e flexibilidade.

A personalização de acordo com as capacidades e a progressão dos alunos é a chave para conduzir um conteúdo de aprendizado bem-sucedido que ressoe com as pessoas, ao mesmo tempo em que as motiva a superar suas limitações. Isso garante que os alunos fiquem atualizados, engajados e prontos para mudanças sempre que a empresa exigir, de acordo com este artigo.

5. Microlearning

No mundo acelerado e com alto déficit de atenção de hoje, pode ser difícil para os alunos se concentrarem em sessões de treinamento longas e tradicionais. Como resultado, tem havido uma tendência para o microlearning, que permite que os alunos absorvam informações em blocos menores e mais gerenciáveis.

Este ano, as organizações precisarão adotar soluções de treinamento mais flexíveis e adaptáveis, usando nano ou microlearning e outras abordagens, para fornecer conteúdo em formatos mais curtos e digeríveis.

A eficiência deste tipo de aprendizagem já não é mais questionável e mostra melhorias significativas no progresso do aluno.

6. Competência cultural e diversidade

À medida que o mundo se torna mais conectado e diversificado, é importante que as organizações sejam culturalmente competentes e inclusivas em seus programas de treinamento e desenvolvimento.

As organizações precisarão desenvolver programas de treinamento que sejam sensíveis às diferenças culturais e que promovam a diversidade, a equidade e a inclusão.

Isso pode envolver a incorporação de conteúdo sobre competência cultural e diversidade em programas de treinamento, bem como o desenvolvimento de estratégias para garantir que todos os funcionários tenham acesso a oportunidades de treinamento e desenvolvimento.

Contar com uma plataforma que facilmente se adapta e ajusta a dificuldade de acordo com as capacidades do usuário e ritmos de aprendizagem é a chave para abraçar com sucesso a diversidade no treinamento corporativo.

7. Treinamento constantemente atualizado e uma plataforma de aprendizado flexível

Entregar conteúdo de aprendizado atualizado em vários Sistemas de Gerenciamento de Aprendizagem (LMSs) não é fácil. Mas para alcançar uma mudança de comportamento duradoura, é uma obrigação.

Por isso é muito importante contar com plataforma de aprendizado flexível, descontraída, inovadora, mas intuitivas, que estimulem os usuários a acessar e interagir com o conteúdo de forma rápida e eficiente.

Além disso, transformar a plataforma em um espaço colaborativo, onde as equipes podem colocar seus dois centavos e manter o conteúdo em evolução, é fundamental para atingir o público certo e suas necessidades em evolução.

Os colaboradores precisam ser capazes de acessar facilmente o treinamento no fluxo de trabalho. É por isso que tecnologias emergentes, como serviços de streaming, atenderão a essas necessidades e fornecerão acesso instantâneo a conteúdo imersivo e relevante.

Contar com uma solução prática que possa distribuir o conteúdo com eficiência e disponibilizá-lo para atualizações contínuas no momento de necessidade do aluno também é fundamental para alcançar o objetivo com sucesso.

Portanto, a plataforma escolhida deve ser capaz de permitir atualizações constantes e ser construída pensando na flexibilidade, dando espaço para que todas as idades e todas as qualificações possam intervir e adequar o treinamento quando necessário. Por esse motivo, o uso de tecnologias que aproveitam integrações de API, integração total de automação para fornecer conteúdo é essencial este ano.

8. A mudança em direção às plataformas de experiência de aprendizado

A mudança deste ano será para as Learning Experience Platforms (LXPs), as plataformas de aprendizado de Inteligência Artificial (IA) entregues usando software como serviço (SaaS), com o objetivo de deixar para trás os sistemas obsoletos onde era complicado realizar integrações . Esses novos sistemas permitem a criação de conteúdo, elementos de gamificação e chatbox, enquanto fornecem ao usuário análises do desempenho do aluno e fácil integração com provedores de eLearning.

Alguns dos benefícios desses LXPs são um alto grau de personalização do conteúdo de aprendizagem, aprendizado ágil por meio do microlearning e alta flexibilidade para os alunos quando se trata de metodologia e cronogramas.

O que faz a diferença este ano é a tendência à democratização da experiência de aprendizagem e a autonomia que é dada aos usuários: eles passam a ter o controle total de suas trajetórias de aprendizagem.

 

A automação de tarefas: tendência na educação corporativa

A realização de tarefas manuais na educação corporativa pode ser ruim por causa do gasto de tempo, erros, ineficiência, falta de consistência e falta de escalabilidade, o que pode tornar a gestão do desenvolvimento de pessoas ineficiente quando a empresa cresce ou tem muitos funcionários para treinar.

Como fazer uma gestão mais eficiente de recursos e tempo?

A automação de tarefas é tendência na educação corporativa, pois aumenta a produtividade e ma melhor personalização da aprendizagem para cada funcionário. Algumas das possibilidades de automação na educação corporativa incluem:

Gerenciamento de programas de treinamento: a automação pode ser usada para agendar e monitorar programas de treinamento, incluindo a gestão de inscrições, a alocação de salas de aula e a avaliação do desempenho dos funcionários após o treinamento.

Aprendizagem personalizada: a automação pode ser usada para criar programas de aprendizagem personalizados para cada funcionário, com base nas suas habilidades, conhecimentos e interesses.

Aprendizagem baseada em dados: a automação pode ser usada para coletar e analisar dados sobre o desempenho dos funcionários durante os programas de treinamento, a fim de identificar pontos fracos e fortalecê-los.

Aprendizagem baseada em gamificação: a automação pode ser usada para criar jogos educativos e desafios para os funcionários, a fim de mantê-los engajados e motivados durante o processo de aprendizagem.

Feedback automatizado: a automação pode ser usada para fornecer feedback instantâneo e personalizado aos funcionários sobre seu desempenho durante os programas de treinamento, o que pode ajudar a melhorar a sua capacidade de aprendizagem.

Em resumo, a automação de tarefas oferece muitas possibilidades para a educação corporativa, permitindo uma gestão mais eficiente dos programas de treinamento, bem como uma melhor personalização da aprendizagem para cada funcionário.

>> Leia também: 7 dicas para gerar mais resultados com uma universidade corporativa

>> Você pode se interessar: 12 estratégias para criar uma universidade corporativa que gera resultados

 

Que tal a Evolluo para ajudar você a impulsionar a educação corporativa?

Na Evolluo são mais de 80 cursos com os melhores experts, o que facilita ainda mais a escalar o desenvolvimento da sua equipe. Conheça a plataforma, solicite um acesso gratuito.


Feito pela evolluo CNPJ: 13.264.9804/0001-40 | Copyright © 2024 evolluo - Todos os direitos reservados

Feito pela evolluo CNPJ: 13.264.9804/0001-40 | Copyright © 2024 evolluo - Todos os direitos reservados

Feito pela evolluo CNPJ: 13.264.9804/0001-40 | Copyright © 2024 evolluo - Todos os direitos reservados