Diagrama de Kolb: o que é e como usar na educação corporativa?

O Diagrama de Kolb é uma ferramenta de aprendizagem usada na educação corporativa para entender como as pessoas aprendem e como podem ser melhoradas as estratégias de treinamento e desenvolvimento nas organizações. Vamos descobrir a seguir o que é o Diagrama de Kolb e como usar na prática para melhorar o engajamento e personalizar a experiência de aprendizagem na organização. Vamos nessa?

O que é o Diagrama de Kolb?

O Diagrama de Kolb, criado por David Kolb, um psicólogo e educador americano, em 1984, afirma que a aprendizagem ocorre quando o indivíduo se envolve ativamente em experiências práticas, reflexões sobre essas experiências, abstração de conceitos a partir dessas reflexões e testes desses conceitos na prática.

O Diagrama de Kolb ajuda a identificar o estilo de aprendizagem de cada pessoa, o que possibilita a criação de estratégias de treinamento mais adequadas e eficazes, de acordo com as preferências e necessidades individuais de cada colaborador.

Alguns exemplos de estratégias incluem a utilização de atividades práticas, discussões em grupo, estudos de caso, leituras e vídeos educacionais, entre outros.

São quatro etapas principais:


Experiência concreta: é a etapa em que a pessoa vivencia uma situação real de aprendizado, seja por meio de um curso, treinamento ou situação prática no ambiente de trabalho.

Observação reflexiva: é a etapa em que a pessoa reflete sobre a experiência vivida, avalia os resultados e identifica as falhas e sucessos.

Conceituação abstrata: é a etapa em que a pessoa busca a compreensão teórica do que foi aprendido, buscando conceitos e modelos que expliquem a experiência.

Experimentação ativa: é a etapa em que a pessoa aplica o que aprendeu em novas situações, aprimorando seu conhecimento e habilidades.

 

Como o Diagrama de Kolb pode ajudar a melhorar seus resultados na educação corporativa?

O Diagrama de Kolb é uma ferramenta valiosa para a educação corporativa, pois ajuda a resolver vários problemas comuns na educação corporativa, incluindo a falta de engajamento dos colaboradores, baixa retenção do conhecimento, dificuldade em aplicar o conhecimento na prática e dificuldade em atender às necessidades individuais de aprendizagem.

Falta de engajamento dos colaboradores

Muitas vezes, os colaboradores não se envolvem plenamente nas atividades de treinamento e desenvolvimento, o que pode afetar negativamente o seu desempenho e a produtividade da equipe. Com o Diagrama de Kolb, é possível identificar as preferências de aprendizagem de cada colaborador e aplicar atividades mais adequadas, aumentando o seu engajamento no processo de aprendizagem.

Baixa retenção do conhecimento

Em muitos casos, os colaboradores esquecem rapidamente o que foi aprendido em treinamentos e cursos, o que pode ser um desperdício de recursos. Com o Diagrama de Kolb, é possível aplicar atividades que envolvam a aplicação prática do conhecimento adquirido, aumentando a retenção do mesmo.

Dificuldade em aplicar o conhecimento na prática

Muitos colaboradores têm dificuldade em aplicar o conhecimento adquirido em treinamentos e cursos na sua rotina de trabalho. Com o Diagrama de Kolb, é possível aplicar atividades práticas que ajudem os colaboradores a experimentar o que foi aprendido na prática, facilitando a aplicação do conhecimento na rotina de trabalho.

Dificuldade em atender às necessidades individuais de aprendizagem

Cada colaborador tem seu próprio estilo de aprendizagem e preferências, o que pode dificultar a criação de estratégias de treinamento eficazes para todos. Com o Diagrama de Kolb, é possível identificar as preferências individuais de aprendizagem e criar atividades mais adequadas, atendendo às necessidades de cada colaborador.

>> 💡Aproveite para ler: Como a ferramenta GTD pode te ajudar a melhorar os resultados dos treinamentos?

Na prática: como usar o Diagrama de Kolb na educação corporativa em 4 passos

O uso do Diagrama de Kolb na prática envolve a identificação dos perfis de aprendizagem dos colaboradores, a definição das atividades de treinamento mais adequadas, a aplicação dessas atividades e a avaliação dos resultados obtidos. Vamos entender melhor como aplicar o Diagrama de Kolb na prática em 4 passos:

Passo 1 - Identificar o perfil de aprendizagem dos colaboradores

O primeiro passo é avaliar cada colaborador individualmente, por meio de questionários ou entrevistas, para identificar seu perfil de aprendizagem e preferências de aprendizagem. Algumas pessoas podem ser mais experientes, enquanto outras podem preferir uma abordagem mais teórica. Essas informações ajudam a definir a estratégia de treinamento mais adequada para cada colaborador.

Passo 2 - Definir as atividades de treinamento

Após a identificação dos perfis de aprendizagem dos colaboradores, é possível definir as atividades de treinamento mais adequadas para cada um. Por exemplo, atividades práticas para colaboradores mais experientes ou discussões em grupo para colaboradores mais teóricos.

Passo 3 - Aplicar as atividades de treinamento

A terceira etapa consiste em aplicar as atividades de treinamento definidas, levando em consideração as preferências de aprendizagem dos colaboradores.

Passo 4 - Avaliar os resultados

Por fim, é importante avaliar os resultados das atividades de treinamento aplicadas, para verificar se foram efetivas e se contribuíram para o desenvolvimento dos colaboradores. Essa avaliação pode ser feita por meio de questionários ou feedback dos próprios colaboradores, além de avaliações de desempenho.

Com essa abordagem, é possível desenvolver a capacidade dos colaboradores e aumentar o desempenho da equipe como um todo.


Feito pela evolluo CNPJ: 13.264.9804/0001-40 | Copyright © 2024 evolluo - Todos os direitos reservados

Feito pela evolluo CNPJ: 13.264.9804/0001-40 | Copyright © 2024 evolluo - Todos os direitos reservados

Feito pela evolluo CNPJ: 13.264.9804/0001-40 | Copyright © 2024 evolluo - Todos os direitos reservados